Aboios e Repentes
Aqüicultura
Aves
Cães
Causos Na Beira do Fogo
Cavalo e Cia
Ciência no Campo
Debate Rural
Dog Foto Blog
Dúvidas? O especialista ajuda
Empregos no Campo
Eno Sabor Rural
Exposições e Leilões
Feira Livre
Galeria de Fotos Rurais
Meio Ambiente
Notícias do Campo
Receitas do Campo
Suínos
Turismo Rural
img teste Agricultura
boi Bovinos e Bubalinos
img teste Casa de Fazenda
- Equinos
- Fruticultura
Carpinos 2 Ovinos e Caprinos
quarta-feira, 12 de novembro de 2003
Criação de codornas é alternativa de baixo custo
Codornas princ
Codornas princ

Por
Juliana Fonsêca

A criação de codornas é uma prática muito comum no Brasil, principalmente em granjas e sítios, pela facilidade que oferece. No país, há apenas três matrizes de criação dessa ave: Rio de Janeiro, São Paulo e Pernambuco (Carpina). O investimento nessa área pode ser uma boa idéia, já que o sustento da ave é barato, pois ela se alimenta basicamente de uma ração feita de farinha de milho e farinha de trigo, e bebe muita água. Além disso, o preço médio de compra de uma codorna é de R$ 0,30. Seu ovo tem sabor semelhante ao ovo da galinha, menos colesterol, e ainda é tido como afrodisíaco.

Há dois tipos de codornas para criação: as de postura, que tem a principal função de reproduzir, e as de abate, criadas especialmente para essa finalidade. As codornas de postura podem ser criadas em espaços livres, adaptados corretamente, ou em gaiolas com o número máximo de 50 aves, considerando a proporção de um macho para três fêmeas. Seguindo-se essas recomendações, os animais chegam a pôr de 300 a 400 ovos por ano. Esses ovos podem ser aproveitados para o consumo humano, ou ir para o incubatório, local onde são chocados para o nascimento dos filhotes.

As fêmeas iniciam seu período de reprodução em 45 dias de vida, e são úteis até os 10 meses de idade. Depois desse período elas são "descartadas", pois seu corpo não atinge 170g, peso ideal para o abate. Diferentemente do macho, a estrutura da fêmea foi comprometida pela energia que ela depositou na reprodução.

A codorna de abate segue os mesmos procedimentos de criação das codornas de postura, podendo ser criadas em piso ou em gaiolas. O tempo para dar início ao abate é de 45 dias, quando as aves já estão mais encorpadas. Um segredo para estimular o consumo de ração para as que estão em fase de desenvolvimento, é deixar a luz acesa à noite, com iluminação normal ou apenas uma lâmpada piloto. Desse modo, as codornas se alimentam mais, atingindo precocemente o peso ideal, e adiantando o tempo do abate. Em relação à iluminação natural, as aves devem ser poupadas da luz direta do sol. A ração deve ser fornecida às codornas durante 24h/dia. A média do consumo diário de ração por cabeça é de 25 a 30g.


Dica: As codornas devem permanecer em temperatura ambiente, evitando-se, no entanto, a umidade. Se a temperatura estiver muito alta, as codornas sentem-se estressadas, apresentando queda de penas, o que pode comprometer seu desempenho reprodutor.

Curiosidade: Por volta de 1963, foi lançada no Brasil uma marchinha carnavalesca que dizia : “Eu quero ovo do codorna para comer/ o meu problema ele vai ter que resolver”. Assim, cresceu a fama do ovo de codorna como alimento afrodisíaco.

Codornas 2

Codornas 1

Da redação do Nordeste Rural
Voltar Imprimir
LEIA MAIS:
06.05.2013 05h30>
Pesquisas confirmam: o ovo é um dos alimentos mais saudáveis do mercado

 
-->



Fale Conosco
 
Expediente

Anuncie

© 2003 TV Globo LTDA. Todos os direitos reservados.