Aboios e Repentes
Aqüicultura
Aves
Cães
Causos Na Beira do Fogo
Cavalo e Cia
Ciência no Campo
Debate Rural
Dog Foto Blog
Dúvidas? O especialista ajuda
Empregos no Campo
Eno Sabor Rural
Exposições e Leilões
Feira Livre
Galeria de Fotos Rurais
Meio Ambiente
Notícias do Campo
Receitas do Campo
Suínos
Turismo Rural
img teste Agricultura
boi Bovinos e Bubalinos
img teste Casa de Fazenda
- Equinos
- Fruticultura
Carpinos 2 Ovinos e Caprinos
terça-feira, 3 de novembro de 2009
A peleja do sertanejo para cuidar do roçado

Por Augusto Secundino*

O sertanejo se enche de alegria

Quando chega a chuva no sertão

Corre logo pro roçado

Capina com muita animação

Espera ter muita fartura

Com a sua nova plantação

 

Trabalha de sol a sol

E o serviço não é moleza

Mas ele é corajoso

Não tem medo de dureza

Pois vida dura ele já tem

Em sua eterna pobreza

 

Para preparar a terra

Primeiro ele vai brocar

Depois dessa fase

Vem a vez de queimar

E depois da queimada

Ainda tem que destocar

 

Enquanto ele trabalha

Pensa com animação

Esperando bom resultado

Em sua nova plantação

E pede a Deus pra ajudar

Com muita devoção

 

Depois de tudo pronto

Chega a hora de plantar

Ele vai cavando as covinhas

Para as sementes enterrar

E com fé em Deus

Nenhuma delas vai falhar

 

Ele planta de tudo um pouco

Milho, feijão e macaxeira

Tem também o maxixe

Que é planta muito ligeira

Não pode faltar o jerimum

Pra depois vender na feira

 

Depois de alguns dias

Tudo está nascido

O milho já brotou

O feijão está sabido

E o pau de macaxeira

Já tem o olho exibido

 

A plantação ta bonita

E se a chuva não falhar

A fartura é certa

Comida não vai faltar

Pode até sobrar um pouco

Pra na feira negociar

 

Depois dessa fase

Vem a hora de limpar

Pro mato não crescer

E o legume se animar

Puxando terra pras covas

Pra planta desarnar

 

Nessa primeira limpa

Ele vai observando

Se a plantação ta completa

Se não tem nada faltando

E aonde está falhado

Vai logo replantando

 

Pelas falhas ele sabe

O que foi que aconteceu

Se foi a formiga que cortou

Ou a galinha que comeu

E vai tomando providências

Pra recuperar o que perdeu

 

Bota veneno no formigueiro

Pra resolver o problema

Pra se livrar das galinhas

Ele usa outro esquema

Bota mais arame na cerca

E está resolvido o dilema

 

Passada essa etapa

Com tudo replantado

A chuva vai caindo

Deixando o terreno molhado

E o mato que foi limpo

Já está todo renovado

 

O jeito é limpar de novo

Mais uma vez capinar

Esperando um dia de sol

Para o mato secar

Mas continua chovendo

E o mato torna a renovar

 

E assim segue a peleja

Ele continua capinando

A chuva sempre caindo

E o mato renovando

E o pobre sertanejo

Vai aos poucos desanimando

 

A plantação vai ficando eia

O feijão amarelando

A terra se resfria

O terreno vai brejando

E o medo de perder tudo

Vem logo se chegando

 

São Pedro dá uma trégua

O sol volta a brilhar

O sertanejo se anima

E vai logo capinar

Agora o mato morre

E o legume vai levantar

 

E estiagem demora muito

A terra começa a esquentar

Aparece logo a lagarta

Para as plantas devorar

O sertanejo vendo a praga

Volta a desanimar

 

Mas ele é homem de fé

Espera em Deus a solução

Se a chuva voltar logo

Ainda tem salvação

As lagartas morrem todas

E está salva a plantação

 

Quem tem fé em Deus

Passa por muita prova

A chuva volta a cair

E a plantação se renova

E o alegre sertanejo

Cria logo alma nova

 

Ele examina o roçado

Com o seu jeito sereno

Analisando a situação

O prejuízo foi pequeno

A plantação está salva

Nem precisou de veneno

 

Agora é cuidar do que foi salvo

Com coragem e dedicação

Pois dando mais uma limpa

Está pronta a plantação

Para esperar uma boa safra

De milho, jerimum e feijão

 

Quando chega a colheita

Com alegria e satisfação

Aos amigos ele faz agrado

Com milho verde e feijão

Dá também o maxixe

Pra temperar o baião

 

E assim quem não planta

Come igual a quem plantou

Sem sequer imaginar

A peleja que ele enfrentou

E pro pobre sertanejo

Pouca coisa lhe restou

 

 

*Artesão, cordelista e amante da cultura popular e cearense.

da redação do Nordeste Rural
Voltar Imprimir
LEIA MAIS:
03.03.2014 21h14>
É tempo de chuva

Por Dalinha Catunda*

 
-->



Fale Conosco
 
Expediente

Anuncie

© 2003 TV Globo LTDA. Todos os direitos reservados.